Antonio Israel Bruno

Eu choro tua partida e a minha quem chorou?A tua marcou-me a vida,a minha de quem marcou?

Meu Diário
02/11/2009 17h20
No Soltar Das Algemas
 
[No Soltar Das Algemas]
 
No frio soltar das algemas que me prendem
A angústia me carrega e solta na amplidão.
No espetáculo ser alucinado me derramem
Vivendas moralizando a morte na expansão!
 
Barulho maldito, medroso que enfadonho,
Ao sentimento em evasão sendo invadido:
Mergulham minhas dores na aflição do sonho
Livrando-me ao mundo se cruel e desvalido.
 
Punhal, afeta o coração de um infeliz amante
Imolado dos amores às severas dores sofridas
Algemas trinam: dor, revolta ao ser agonizante.
 
E me sinto pobre viandante que a vida sorrira;
Acidente causado pela morbidez que trazido
Algemas me soltam as mãos, preso afeto a ira!
 
Barrinha, 02 de novembro de 2009 12; 40.
 
Antonio Israel Bruno


Publicado por israelbrunopoeta em 02/11/2009 às 17h20
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras